Livro: O Castelo das Águias de Ana Lúcia Merege

Olá meus caros amigos e amigas,

Eu simplesmente adoro o gênero fantasia e ao contrário do que muita gente pensa este gênero é muito difícil de ser escrito. O motivo é muito simples, o autor tem que criar um mundo em todos os seus aspectos; política, economia, cultura, religião, geografia, criaturas e vários outros quesitos. Estes mundos, por si só, já são a maior criação dos autores.

Quando encontro um livro de fantasia com um mundo bem criado, eu leio com gosto, foi o caso de O Castelo das Águias da Editora Draco.

capa_castelo

A autora, Ana Lúcia Merece, nos apresenta Athelgard, um mundo originalmente élfico, mas que a incontáveis eras foi descoberto por navegantes perdidos no mar, estes navegantes eram homens grandes, barbudos e brancos. Isso mesmo, VIKINGS.

giphy

Houve grandes conflitos, por que convenhamos onde há vikings há conflitos, e atualmente os povos vivem em uma frágil paz. Com o passar dos anos as culturas e as raças se mesclaram em alguns povoados, então temos deuses nórdicos, só com outros nomes. Athelgard é habitado por três povos diferentes, elfos, humanos e meio-elfos.

mapa_castelo-web

A personagem principal é Anna de Bryke, uma jovem que esta prestes a se tornar Mestre de Sagas (Professora de História) na Escola de Artes Mágicas de Vrindavahn, também conhecida como O Castelo das Águias. Anna com todas as suas inseguranças e medos torna o livro genuíno, a autora soube muito bem usar a narração em 1° pessoa.

Acredito que, o que também faz da personagem autentica é que Anna de Bryke é assumidamente o alter ego de Ana Lucia Merege. Já disse aqui na resenha da A Morte é Legal o quanto é satisfatório quando vemos a alma do autor no livro, podendo conhecer seu ponto de vista, seus sonhos e sua personalidade. Como Anna é Ana, essa experiência esta garantida, e digo com convicção, cada palavra foi colocada nessas paginas com amor.

Apesar de, em uma conversa no Facebook, a autora Ana ter me dito que O Castelo das Águias ser um pouco infanto-juvenil, eu não concordo, achei o livro muito maduro. O enredo gira em torna de uma disputa política pelo controle das águias que dão nome ao castelo, elas bebem da água de uma fonte especial. Isso dá propriedades mágicas às águias, lhes tornando suscetíveis a encantamentos que as transformam em águias guerreiras. Muito úteis nas guerras.

A forma como a autora abordou esta disputa foi muito adulta, da mesma forma que ela abordou outros temas como casamento, sexo e as lutas. Seu livro é bem maduro Ana, talvez nossa definição de conteúdo adulto esteja muito atrelada a George R. R. Martin e seu banho de sangue alternado com sexo e nudez desnecessários.

Outro ponto que gostei foi a forma da autora desenvolver os feitiços e encantamentos, neste ponto ela fez um trabalho fantástico descrevendo em detalhes todo o processo do encantamento, seu desgaste físico e conseqüências. Já que se trata de uma escola de magia os encantamentos são bem presentes no livro. A própria escola de magia não possui uma estrutura de escola que conhecemos hoje, quebrando um pouco esta rotina que vemos em Harry Potter.

Resumindo, querem ler uma boa fantasia, recomendo O Castelo das Águias, que já tem seqüência chamada A Ilha dos Ossos.

Abraços a todos,

Sandro Moura

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s